Clínicas de Fisioterapia da UNIP atendem pacientes com sequelas da COVID-19

A UNIP segue, rigorosamente, todos os protocolos de segurança e higienização, para garantir a máxima redução de risco aos seus alunos, colaboradores e pacientes das Clínicas.

Muitos dos que venceram a COVID-19 são acometidos de sequelas em seu estado de saúde. São alterações físicas e neurológicas que requerem tratamento assim que detectadas.

Pensando em auxiliar a população, oferecendo tratamento de qualidade e gratuito, a Universidade Paulista – UNIP acaba de implantar o programa Atenção Fisioterapêutica a Pacientes com Sequelas Pós-Covid”.

 

Sob a supervisão de seus professores e coordenadores, alunos do último ano de Fisioterapia (7º e 8º períodos) participam com atendimento à comunidade nas Clínicas de Fisioterapia dos campi da UNIP – distribuídos em São Paulo (capital e interior), Goiânia, Brasília e Manaus.

O atendimento é totalmente gratuito, com exceção da unidade Pompeia, na capital paulista, que cobra uma taxa simbólica ao mês.

O tratamento consiste em realizar os seguintes procedimentos:

  • Exercícios aeróbicos, para pacientes com acometimento cardiopulmonar e que apresentem descondicionamento físico.
  • Exercícios de fortalecimento, para pacientes que apresentem fraqueza muscular periférica.
  • Exercícios de flexibilidade, respiratórios, de equilíbrio e de controle neuromuscular.
  • Treino de força e/ou resistência da musculatura respiratória.
  • Treino de atividades de vida diária, promovendo adaptações para sua realização.
  • Encaminhamento para atendimentos de outros profissionais da Saúde, se necessário.

Há uma triagem: o paciente deverá apresentar os exames médicos realizados e o receituário. Via de regra, é necessário encaminhamento médico para iniciar o tratamento, porém, a equipe de fisioterapeutas analisa caso a caso.

Podem participar pacientes que apresentarem as seguintes condições:

  • Trinta dias sem a presença de todos os sintomas iniciais da COVID-19.
  • Frequência cardíaca, frequência respiratória, pressão arterial e saturação periférica de oxigênio dentro dos limites de normalidade.
  • Não residir com quem esteja com a doença ativa. Sendo o caso, o paciente deve respeitar o prazo de 30 dias após os sintomas do referido familiar.
  • Concordância em assinar o termo de consentimento e responsabilidade.
  • Obrigatoriedade do uso de máscara.

Restrições: existem pacientes que não poderão ser admitidos neste primeiro momento, entre os quais, os que apresentarem os seguintes sintomas:

  • Necessidade de suporte ventilatório ou oxigenoterapia.
  • Doença sistêmica aguda ou febre.
  • Hipotermia (alguns pacientes têm apresentado essa variação sintomática, de acordo com a experiência de membros de nossa equipe).
  • Frequência cardíaca de repouso menor que 50 e maior que 100 batimentos por minuto.
  • Saturação de oxigênio menor que 88%.
  • Sinais de desconforto respiratório em repouso.
  • Hipertensão e/ou arritmia não controlada.
  • Miocardite ativa.
  • Diabetes Mellitus descompensada.
  • Trombose.
  • Alterações cognitivas (contraindicação relativa).

 

Para participar da triagem, basta entrar em contato, por telefone, com a clínica de interesse, conforme sua localidade. Os números telefônicos estão disponíveis em https://www.unip.br/universidade/clinicas/clinica_saude_fisioterapia.aspx