Professor lança novo método de ensino em Congresso Internacional

O professor do curso de mestrado em Administração, campus Indianópolis, Roberto Bazanini, lançou um novo método de ensino, de sua autoria, em artigo apresentado e aprovado no Congresso Global de Educação em Engenharia e Tecnologia 2005 (Gcete´2005), realizado no município de Bertioga, litoral do Estado de São Paulo, entre os dias 13 e 16 de março.

O Gcete´2005 foi organizado pelo Conselho de Pesquisas em Educação e Ciências (Copec) em parceria com diversos institutos internacionais, como Education Society of the Institute of Electrical and Electronics Engineers (Ieee-Edsoc), The Internationale Gesellschaft für Ingenieurpädagogik (Igip), The Societé Européenne pour la Formation dês Ingènieurs (Sefi), dentre outros.

O artigo denominado O Ensino de Filosofia como um Processo Existencial Humano. O Método Bazanini no ensino de Filosofia. Filosofia aplicada à Administração foi desenvolvido com base na dissertação de mestrado defendida pelo autor no ano de 1993, alicerçado em quatro procedimentos: investigar a relevância do contexto social; relacionar o contexto social ao processo de produção do conhecimento; acentuar o enfoque humanístico e crítico, e complementar a análise com a práxis como a linha unificadora de conteúdos.

Esses quatro métodos buscam resgatar as origens do pensar filosófico como crítica consciente e conseqüente da realidade circundante, unindo assim, retórica, filosofia e dialética no sentido de integrá-las instrumentalmente no processo de gestão empresarial.

A aprovação do artigo em novembro de 2004 motivou a sua publicação na forma de livro com o mesmo título. Esse fato comprova a importância cada vez maior do ensino de filosofia nos cursos voltados para o processo de gestão empresarial nos moldes propostos pelo pensador John Dewey, ao enfatizar “quão bom seria se a filosofia estivesse voltada mais para os engenheiros e advogados do que simplesmente se voltar única e exclusivamente para a formação de padres”.

Desse modo, o método Bazanini no ensino de filosofia recupera e atualiza essa visão pragmática, proposta, inicialmente, por Dewey no início do século passado, ao apresentar no Gcete’2005 a pertinência do ensino de filosofia como um processo existencial humano, entendendo que transcendendo o mero empirismo do senso comum, desde Frederick Taylor, passando por Peter Drucker e até Bill Gates, os pioneiros e os inovadores do pensamento empresarial podem ser classificados legitimamente como filósofos do capitalismo, uma vez que legaram para o universo do conhecimento a contínua busca da eficiência, propiciando as mais diferentes reflexões sobre os aspectos da realidade humana, mormente aqueles referentes a “melhor maneira de fazer” que se encontram criticamente presentes nas mais diferentes vertentes do pensamento administrativo.

Professor lança novo método de ensino em Congresso Internacional